Férias de Julho

Primeiro a gente tem, quando criança…. O ferrolho do ano. Aquele espaço de sete a quatorze dias nos quais a escola nos dá uma folga, fecha as portas, e ficamos à revelia da agenda da família. Dos pais, dos avós disponíveis, da doméstica, se houver, que se vê de cabelos brancos com a presença das…

Continue lendo

Sobre o dia de não tê-los aqui…

Falo agora como mãe. Egoísta com seus pintinhos, protetora, possessiva. Todas são, umas mais, umas menos. Eu, tenho exercitado a humildade neste sentido, escrevendo, escrevendo… me autoconhecendo, olhando para o fato dos meus filhos não serem meus, mas apenas virem de mim e por um tempo me habitarem efetivamente. Fisicamente. Mesmo que para sempre na…

Continue lendo

Felicidade: grandiosa e frágil

Escrevi outro dia sobre o medo de morrer. Por conta de um papo hipotético e despretensioso com a minha médica quanto a um risco no meu parto. Graças a Deus, para esta fiel, a morte só passou pela minha cabeça e pelas linhas de uma crônica mesmo…. Aí, num domingo destes, às vésperas do nascimento…

Continue lendo

No fundo, no fundo, falo de família. No fundo, no fundo é isso. Falo da minha experiência como parte deste grupo, seja do meu de origem, seja do que formei. E do processo de divórcio que reestruturou e redimensionou este último, que envolve a mim, aos meus filhos e ao pai deles. Mas o centro…

Continue lendo

Com quem contar…

Com minhas crônicas, tenho tido a oportunidade de conversar com leitoras que as vem acompanhando pelo blog. O que constitui um verdadeiro presente para mim. Uma oportunidade de dividir experiências comuns mesmo com jornadas e destinos eventualmente diferentes. Sob o guarda-chuva do processo de divórcio, discorrem diversas histórias. Além da minha, muito além. De todos…

Continue lendo

Sobre coragem e um novo bebê…

Nosso novo embrião. Preciso contar de onde surgiu nosso novo bebê, este que dividi com vocês no último texto. Sobre quando ele começou a vir. Nos sonhos e desejos daquela casa. Daqueles integrantes da nossa nova família. Para um filho vir à uma constelação já formada e isso ser bom, ser mágico, é preciso que…

Continue lendo

O quinto elemento em mim: Antonella

É assim que vivo os meus. Em mim. Joana viveu em meu ventre por 39 semanas e agora vive em mim, nos meus pensamentos, no meu coração, no meu presente e no meu futuro. Simplesmente em cada pedaço do meu ser. Joaquim, igual a mana, morou na minha barriga por 39 semanas e divide com…

Continue lendo

Medo como amigo…

Quero falar sobre o maior dos medos quando se começa a vida de novo com dois filhos. Quando já está tatuado no teu passado e traduzido no fruto dos filhos que ficam, a história de um casamento rompido, de um amor que acabou. A primeira sensação é a de não querer mais uma relação a…

Continue lendo

Você e outros Vocês…

Que difícil se relacionar com pessoas. Há de se admitir. Quanto mais os anos passam, mais eu acho que subestimamos a nossa capacidade de complicar as coisas simples. O amor é simples. Educar também, se considerarmos que, mesmo existindo muitas filosofias, cada uma delas tem suas orientações claras quanto a regramentos e modelos de educação….

Continue lendo

Sobre o óbvio

Pois então. Falei outro dia de uma coluna do Piangers, que eu adoro, e que demandou da minha parte, defesa. Me senti na condição de defender a mim mesma quando o mesmo tratou do divórcio, na pele de um homem casado. Mas adoro Piangers. Me divirto e me emociono com ele direto. Então para mim,…

Continue lendo