A rapadura é doce, mas não é mole…

Não sou psicóloga nem neurologista, mas posso afirmar que existem áreas no cérebro que apagam as experiências de exaustão com os filhos, logo que elas passam. Algo como um aspirador de pó talvez, que suga os estilhaços das fazes mais difíceis, não deixando qualquer pista. Assim, a gente esquece. E se alguém contar o quanto…

Continue lendo

Um corpo tatuado? Sim, temos. Dentro e fora.

No decorrer da vida tive o privilégio de viver diversas experiência importantes para o meu crescimento, para o meu autoconhecimento. Rupturas e mudanças de rotas que me edificaram e à minha história. Que não é nem boa, nem ruim, mas me trouxe à pessoa que sou hoje. Que construiu o que para mim é valor….

Continue lendo

Pais e filhos: amor e seus fluxos…

O amor propõe caminhos diferentes às pessoas. Tem diferentes pesos e valores para cada indivíduo. E uma noite dessas, enquanto amamentava, me deu um estalo. No amor de família, especificamente entre pais e filhos, percebi uma diferença nada sútil entre este fluxo. Entre o que sentem pais pelos filhos, e o que sentem os filhos…

Continue lendo

Sobre túneis e adoecimentos.

Existem coisas que me encantam e me assustam ao mesmo tempo na vida. Me encantam pela capacidade mágica de se parecerem diferentes a cada ângulo. De, conforme a posição que você senta para encara-las, parecerem certas de um jeito, ora parecerem erradas, ora parecerem de outro jeito completamente diferente. Por serem em alguns momentos exigentes,…

Continue lendo

Criatividade na vida…

É preciso ter criatividade para ser feliz. Para lidar com o compartilhamento dos filhos, com duas casas, com famílias em cidades diferentes. Posso garantir que só a criatividade vence esse desafio, e vou dizer porquê. Uma pessoa para exercer a criação, precisa de desprendimento. Avalio esta frase em toda a sua profundidade.  Criar alternativas diferentes…

Continue lendo

Férias de Julho

Primeiro a gente tem, quando criança…. O ferrolho do ano. Aquele espaço de sete a quatorze dias nos quais a escola nos dá uma folga, fecha as portas, e ficamos à revelia da agenda da família. Dos pais, dos avós disponíveis, da doméstica, se houver, que se vê de cabelos brancos com a presença das…

Continue lendo