Comer, rezar e amar me parece o caminho:)

O filme de 2010 já tratava sobre o sábio modo de caminhar a jornada da vida. Comendo, rezando e amando. Sentindo o sabor do que se coloca para dentro da gente, reconhecendo e agradecendo cada experiência, e vivendo o amor. Naquela época, a personagem de Júlia Roberts já falava, no início deste livro que eu…

Continue lendo

Bem acompanhados?

Andei pensando nos últimos dias sobre as pessoas que hoje estão nos acompanhando, dividindo vida com a gente, e que foram frutos de uma escolha, ou de algumas. De “A à Z”. Filhos estão neste bolo também. Quando as escolhemos, qualquer uma dessas pessoas, pensamos em tudo que poderíamos passar juntos na vida? Pensamos se…

Continue lendo

Acho que podemos nos amar assim:)

Não tenho muitos ídolos, mas dizeres e pensares que me representam, sim. Já escrevi aqui sobre isso, e para quem não acompanhou, é apenas a minha opinião sobre idolatrar as pessoas, o que, a meu ver, as tira a humanidade. Adoro vê-la nos seres humanos que admiro. Adoro quando tropeçam, esbarram em um copo, cometem…

Continue lendo

O que é nosso está bem guardado:)

O amor, assim como as histórias e memórias, são da gente. Mesmo que dedicado a alguém ou a alguma coisa, afetos e memórias são de quem às tem. Venho repetindo isso, mas prometo que não “sem querer”, mas por acreditar que enxergar as coisas por este prisma nos ajuda a recomeçar sem a sensação de…

Continue lendo