Recomeço e o Cuidado Compartilhado

Muitas coisas morrem e nascem no divórcio. Esse é talvez um dos processos mais difíceis da vida emocional e social de uma pessoa. Ela se desmancha e se reconstitui ainda viva. Morre e nasce na mesma jornada. Porque aqui não se trata de tragédia. Não é uma fatalidade, que sorteia a alguns à um desafio…

Continue lendo

Adeus ano velho…

Ok, eu me apego a roupas e sapatos… não vou negar. Sou vaidosa e criativa, por isso gosto de coisas e espaços. Gosto de lugares e fotos. Da minha casa. Tenho coisas que guardo há vinte anos no armário, pelas quais tenho verdadeiro afeto. Porque me lembram situações importantes da minha vida, boas ou ruins….

Continue lendo

Mulheres desencaixotadas?

Há poucos meses atrás, após quase 20 anos de vida executiva, iniciei um novo caminho que me levou a empreender. Já escrevi sobre isso aqui… Mas enfim, comecei a trabalhar com habilidades que desenvolvi nestes anos de muitas e diferentes experiências profissionais, em mercados distintos. Coisa que me construiu resiliente e criativa, características que levo…

Continue lendo

O peso da abelha operária…

Se as minhas amigas psicólogas e psicanalistas me lerem, vão me atribuir o auge da arrogância. Mas sim, é a pura verdade. A mãe da nova família, essa que compõe com todos os seus amores a nova constelação, está no centro de tudo. Na base deste empreendimento. É quem segura a viga principal da construção….

Continue lendo

O mundo dela, lá fora…

Calma filha, eu vou contigo. Calma filha, eu vou contigo… Calma… Eu não vou. Ficarei rezando aqui. Me dei conta que a saída dela naquela manhã de sol para um passeio intermunicipal da escola, assim como serão as suas saídas tantas da vida, sempre vão doer. Que sentirei a insegurança da mãe da família tradicional,…

Continue lendo

Bons entendedores, entenderão:)

Sabe o que eu gosto na vida de mãe? O fato de que ela me desacomoda. Me desafia. O fato de ser difícil. Não acho, em geral, nada fácil na vida. Afinal, creio que não estamos aqui exatamente a passeio. Que a nossa jornada na vida tem a ver com aprendizado e aprofundamento. Talvez por…

Continue lendo

Tempo, cada um tem o seu.

Há quem diga que o gestor da empresa para a qual trabalhei nos últimos sete anos, jamais esteve preparado para uma sucessão. Há quem diga que eu já deveria ter deixado este plano profissional para trás há pelo menos dois anos. Outros, há cinco. Há quem diga que perdi vida, perdi tempo de empreender em…

Continue lendo

A rapadura é doce, mas não é mole…

Não sou psicóloga nem neurologista, mas posso afirmar que existem áreas no cérebro que apagam as experiências de exaustão com os filhos, logo que elas passam. Algo como um aspirador de pó talvez, que suga os estilhaços das fazes mais difíceis, não deixando qualquer pista. Assim, a gente esquece. E se alguém contar o quanto…

Continue lendo