Eles sabem…

Vou falar de uma coisa louca. Do improvável reconhecimento dos filhos sobre as coisas que fazemos por eles. Sabe o que é mais legal de escrever genuinamente? Sem revisor de texto, editor chefe ou orientações de terceiros? É que eu vou vivendo a vida, aberta, e, de repente, mudo de opinião e saio do lugar…

Continue lendo

Minha paixão por bilhetes

Sou do tempo dos bilhetes. Tenho lembranças do meu prazer em recebê-los desde a minha infância. Dos recadinhos que a minha mãe deixava com as ordens do dia para mim e para as minhas irmãs, com tempo de televisão autorizado, horário de temas e de vestir os uniformes da escola. Lembro também do afeto escrito…

Continue lendo

Pertenço? Ou me adéquo?

Outro dia ouvi em uma palestra sobre o sentido de pertencimento, e que neste processo se é, não se adéqua. Olha que profundo isso. Quantas as situações as quais nos convidam a entrar em grupos, compartilhar de crenças e valores, ou mesmo de ações organizadas, que falem por nós, e de repente, nos adequamos ao…

Continue lendo

É anjo que chama?

Esses dias, em uma conversa com uma amiga que constrói comigo muitos dos fóruns sobre divórcio e novas famílias, falamos de anjos. Desses que aparecem na vida da gente nos momentos de necessidade e dor aguda. Desses inesperados. Que caem do céu, mesmo. E nesse papo me dei conta que tive um na minha história…

Continue lendo

Filhos do Divórcio

Meus filhos maiores estão crescendo. Joana está com quase dez anos e o Joaquim com oito e meio.  Já se passaram mais de quatro anos que a nossa nova família, formada inicialmente de nós três, começou. Que eu hospedei fantasmas na minha consciência quanto à nossa dinâmica neste novo formato, e desde lá, construí cenários…

Continue lendo