O peso da abelha operária…

Se as minhas amigas psicólogas e psicanalistas me lerem, vão me atribuir o auge da arrogância. Mas sim, é a pura verdade. A mãe da nova família, essa que compõe com todos os seus amores a nova constelação, está no centro de tudo. Na base deste empreendimento. É quem segura a viga principal da construção….

Continue lendo

O mundo dela, lá fora…

Calma filha, eu vou contigo. Calma filha, eu vou contigo… Calma… Eu não vou. Ficarei rezando aqui. Me dei conta que a saída dela naquela manhã de sol para um passeio intermunicipal da escola, assim como serão as suas saídas tantas da vida, sempre vão doer. Que sentirei a insegurança da mãe da família tradicional,…

Continue lendo

A rapadura é doce, mas não é mole…

Não sou psicóloga nem neurologista, mas posso afirmar que existem áreas no cérebro que apagam as experiências de exaustão com os filhos, logo que elas passam. Algo como um aspirador de pó talvez, que suga os estilhaços das fazes mais difíceis, não deixando qualquer pista. Assim, a gente esquece. E se alguém contar o quanto…

Continue lendo

Pais e filhos: amor e seus fluxos…

O amor propõe caminhos diferentes às pessoas. Tem diferentes pesos e valores para cada indivíduo. E uma noite dessas, enquanto amamentava, me deu um estalo. No amor de família, especificamente entre pais e filhos, percebi uma diferença nada sútil entre este fluxo. Entre o que sentem pais pelos filhos, e o que sentem os filhos…

Continue lendo