De olhos bem abertos…

Em que ponto eu passei a prestar atenção em tudo? A amar de olhos abertos? Atenta a brisa, a um olhar caído, a agitação exacerbada de um, a mancha do olho do outro? À ansiedade, atrapalhação, hostilidade ou muita amorosidade de qualquer ser na minha casa, na minha vida? Não sei dizer o que aconteceu…

Continue lendo

Sobre uma bicicleta amarela

Joana e Joaquim com o pai, Antonella dormindo com a sua fadinha, que a cuida como uma boneca de porcelana, e de repente, a oportunidade de passear por aí, de mãos dadas, na praia, surgiu a nossa frente. Assim como mágica. Assim, levinho, sem compromisso. Assim, como muitas vezes fizemos quando éramos dois. Ali, exaustos,…

Continue lendo

Amar de novo? Uma história de amor…

Me perguntou outro dia, uma seguidora do projeto, como eu encontrei o amor de novo. Como fazer acontecer o recomeço afetivo de verdade, este que acontece muitas vezes na estrutura da nova família, e quem sabe até com celebração e frutos, como aconteceu aqui. Este questionamento veio a mim há algum tempo, e se fez…

Continue lendo

Pós-Guerra: Expectativa X Realidade

Neste canal honesto, escrevi há uma semana sobre a minha saída em férias com meus filhos e a minha expectativa de mãe quanto a este período que desejo tanto. Mas como disse, esse canal é honesto, e nele registro sentimentos reais da maternidade, que acredito serem comuns. Li outro dia que ficar com os filhos…

Continue lendo

É férias que diz, né?

Escrevo do carro. Da cadeira do carona. Estamos com a caminhonete cheia, indo a Santa Maria para uma pequena temporada em família. São as nossas pequenas férias juntos… todos. E eu estava ansiosa antes de agora. Aquela ansiedade peculiar da mulher. Porque eu precisava estar trabalhando. Retomando, ávida, minhas atividades profissionais. Precisava estar arrumando os…

Continue lendo