De olhos bem abertos…

Em que ponto eu passei a prestar atenção em tudo? A amar de olhos abertos? Atenta a brisa, a um olhar caído, a agitação exacerbada de um, a mancha do olho do outro? À ansiedade, atrapalhação, hostilidade ou muita amorosidade de qualquer ser na minha casa, na minha vida? Não sei dizer o que aconteceu…

Continue lendo

Sobre uma bicicleta amarela

Joana e Joaquim com o pai, Antonella dormindo com a sua fadinha, que a cuida como uma boneca de porcelana, e de repente, a oportunidade de passear por aí, de mãos dadas, na praia, surgiu a nossa frente. Assim como mágica. Assim, levinho, sem compromisso. Assim, como muitas vezes fizemos quando éramos dois. Ali, exaustos,…

Continue lendo

Amar de novo? Uma história de amor…

Me perguntou outro dia, uma seguidora do projeto, como eu encontrei o amor de novo. Como fazer acontecer o recomeço afetivo de verdade, este que acontece muitas vezes na estrutura da nova família, e quem sabe até com celebração e frutos, como aconteceu aqui. Este questionamento veio a mim há algum tempo, e se fez…

Continue lendo

Pós-Guerra: Expectativa X Realidade

Neste canal honesto, escrevi há uma semana sobre a minha saída em férias com meus filhos e a minha expectativa de mãe quanto a este período que desejo tanto. Mas como disse, esse canal é honesto, e nele registro sentimentos reais da maternidade, que acredito serem comuns. Li outro dia que ficar com os filhos…

Continue lendo

É férias que diz, né?

Escrevo do carro. Da cadeira do carona. Estamos com a caminhonete cheia, indo a Santa Maria para uma pequena temporada em família. São as nossas pequenas férias juntos… todos. E eu estava ansiosa antes de agora. Aquela ansiedade peculiar da mulher. Porque eu precisava estar trabalhando. Retomando, ávida, minhas atividades profissionais. Precisava estar arrumando os…

Continue lendo

Recomeço e o Cuidado Compartilhado

Muitas coisas morrem e nascem no divórcio. Esse é talvez um dos processos mais difíceis da vida emocional e social de uma pessoa. Ela se desmancha e se reconstitui ainda viva. Morre e nasce na mesma jornada. Porque aqui não se trata de tragédia. Não é uma fatalidade, que sorteia a alguns à um desafio…

Continue lendo

Adeus ano velho…

Ok, eu me apego a roupas e sapatos… não vou negar. Sou vaidosa e criativa, por isso gosto de coisas e espaços. Gosto de lugares e fotos. Da minha casa. Tenho coisas que guardo há vinte anos no armário, pelas quais tenho verdadeiro afeto. Porque me lembram situações importantes da minha vida, boas ou ruins….

Continue lendo

Mulheres desencaixotadas?

Há poucos meses atrás, após quase 20 anos de vida executiva, iniciei um novo caminho que me levou a empreender. Já escrevi sobre isso aqui… Mas enfim, comecei a trabalhar com habilidades que desenvolvi nestes anos de muitas e diferentes experiências profissionais, em mercados distintos. Coisa que me construiu resiliente e criativa, características que levo…

Continue lendo

O peso da abelha operária…

Se as minhas amigas psicólogas e psicanalistas me lerem, vão me atribuir o auge da arrogância. Mas sim, é a pura verdade. A mãe da nova família, essa que compõe com todos os seus amores a nova constelação, está no centro de tudo. Na base deste empreendimento. É quem segura a viga principal da construção….

Continue lendo